Ser humano poderá viver até 130 anos, diz novo estudo

Ser humano poderá viver até 130 anos, diz novo estudo

Um novo estudo de pesquisadores suíços aponta que o ser humano poderá viver até 130 anos, ou até muito mais, até o final deste século.

A nova pesquisa, divulgada na semana passada pelo Jornal Open Science, da Royal Society, vai na mesma linha de outro estudo publicado pela Nature, e divulgado pelo SNB, que mostra que poderemos viver até 150 anos.

Segundo os pesquisadores da Suíça, depois de um determinado ponto da vida pós-centenária, as chances de morrer se estabilizam em 50% por ano. A equipe de cientistas defende que isso acontece graças ao desenvolvimento da medicina e de avanços no campo social.

Para se ter uma ideia, a pessoa que viveu mais é a francesa Jeanne Calment, que morreu em 1997 com a idade confirmada de 122 anos. Atualmente, a pessoa comprovadamente mais velha no mundo é a japonesa Kane Tanaka, com 118 anos.

Novos Centenários

Com base nos dados disponíveis, os cientistas puderam chegar a média de 130 anos como o limite de vida até agora alcançado.

Ele analisaram novos dados de supercentenários, 110 anos ou mais, e semi-supercentários, 105 anos ou mais.

“A partir dos 110, você pode pensar em viver mais um ano como jogar uma moeda”, disse Anthony Davison, professor de estatística do Instituto Federal Suíço de Tecnologia em Lausanne, que liderou o estudo.

“Se sair cara, você viverá seu próximo aniversário. Do contrário, você morrerá em algum momento do próximo ano”, disse ele à AFP.

Na verdade, se esses resultados forem extrapolados, “isso implica que não haveria limite para a expectativa de vida”, porque sempre poderia sair cara no lançamento da moeda, conclui a pesquisa.

A pesquisa

O estudo é baseado em um banco de dados publicado recentemente pelo International Longevity Database que cobre mais de 1.100 supercentenários de 13 países e outro da Itália com informações sobre todas as pessoas no país com 105 anos ou mais entre 2009 e 2015.

“Se houvesse um limite abaixo dos 130 anos, teríamos sido capazes de detectá-lo com os dados disponíveis agora”, disse Davison.

O professor acredita que antes do final deste século, alguns humanos terão alcançado essa idade dos 130, caso sejam alcançados determinados avanços sociais e na medicina.

Com informações da AFP/Diário de Pernambuco

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


Seja o primeiro a comentar!

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.